NA LOGISTICA DE MEDICAMENTOS: As Estratégias e os Processos de Inovação Anunciados a Nível de Maputo Não Chegam Onde Deviam Chega

Apesar do aparente esforço que o Ministério da Saúde está a empreender para colmatar o problema de ruptura de stock de medicamentos essenciais nas unidades sanitárias, o esforço parece não se fazer sentir, principalmente na componente da disponibilidade de medicamentos essenciais nas unidades sanitárias periféricas e de coordenação logística da cadeia de armazenamento e distribuição entre os níveis distrital e provincial. Na última sessão de perguntas ao Governo, que decorreu na AR no dia 22 de Julho do corrente ano, a Ministra da Saúde informou os deputados que em relação à disponibilização de medicamentos “foram efectuadas distribuições de Medicamentos de Via Clássica do 1° e 2° trimestres estando neste momento em curso a Distribuição do 3° Trimestre”1. No mesmo dis- curso, a Ministra do pelouro reconheceu que o esforço a ser empreendido pela sua equipa deve traduzir-se “na disponibilização de mais re- cursos, na capacitação em gestão de mais quadros, na reorganização estrutural de logística atendendo a nossa extensão geográfica e outras condicionantes”.

Leia o texto na íntegra