Para dar melhor resposta ao COVID-19: governo deve aprovar com urgência e na íntegra a implementação do Plano Estratégico Logístico Farmacêutico

Os dados apresentados pelo Instituto Nacional de Saúde indicam que os casos têm vindo a aumentar nos últimos dias, contando actualmente com 129 casos, felizmente, sem nenhum óbito. Para o combate à pandemia, o Estado moçambicano adoptou uma série de medidas que visam minimizar o impacto da COVID-19 no Sistema Nacional de Saúde.

Importa destacar que uma das medidas adoptadas pelas autoridades foi a definição do Programa de Manejo de Pacientes com COVID-19, aprovado pelo governo a 13 de Abril de 2020. De acordo com o referido programa, aos pacientes com COVID-19 e com sintomas relacionados a complicações respiratórias é receitado um conjunto de medicamentos que constam da Lista Essencial de Medicamentos em uso no Serviço Nacional de Saúde, nomeadamente: paracetamol 500mg, antitússicos, ceftriaxona, amoxicilina 500mg, azitromicina 500mg, hidroxicloroquina, enoxaparina 40mg e corticóides. Acontece que alguns medicamentos alistados no programa de Manejo indicados pelo MISAU para atenuar a situação de pacientes testados positivos não se encontram disponíveis nas unidades sanitárias do país, conforme indicam os dados obtidos no programa Utente Repórter liderado pelo CIP.

Leia o texto na íntegra