Ajuste-directo na contratação de empreiteiros para reabilitação de escolas: decisão do Governo acarreta altos riscos de corrupção

O Governo decidiu que a contratação de empreiteiros para a reabilitação de mais de 600 escolas, com vista a preparar o reinício das aulas em contexto da covid-19, será por ajuste-directo. A justificação é de que há urgência nas obras que deverão decorrer entre  60 a 90 dias, segundo disse hoje em conferência de imprensa, Nilton Trindade, Director Nacional de Abastecimento de Água e Sacramento. O CIP reconhece a necessidade de reabilitação urgente das escolas mas discorda da opção pelo ajuste directo por esta representar alto risco de corrupção.

Leia o texto na íntegra