Isolamento para mitigar COVID-19 no meio da pobreza: Propostas de alternativas para Moçambique

Estima-se que entre 55% a 60% da população vive em pobreza em Moçambique, equivalendo a cerca de 18 milhões de moçambicanos e o Governo gasta abaixo de 1% PIB para apoiar agregados familiares pobres e vulneráveis em forma de assistência social.
Cerca de 88% da população economicamente activa trabalha no sector informal, incluindo a agricultura de subsistência. Aplicar medidas de isolamento social para conter a propagação de coronavírus, sem ter em conta esta realidade, não surtiria os efeitos desejados.
Nesta publicação, o CIP apresenta proposta de alternativas a ser adoptadas pelo Governo no contexto da inevitável decretação de estado de emergência e ou mesmo de lockdown face à iminente ameaça de COVID-19 ao País, actualmente com 8 casos confirmados.